Gestores e desenvolvedores de Mapas se reúnem

Nos dias 29 e 30 de março, o Instituto TIM, em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo e o Ministério da Cultura (MinC), promoveu o IV Encontro de Gestores e o III Encontro de Desenvolvedores de Mapas Culturais. Cerca de 70 participantes se reuniram nos dois eventos para trocar experiências, discutir o cenário do projeto e falar das perspectivas para o futuro. Participaram gestores e desenvolvedores do MinC, da Associação de Municípios do Nordeste de Santa Catarina (AMUNESC), de dez estados e dez municípios que já utilizam a plataforma, estão em fase de implementação ou têm interesse em adotá-la, pesquisadores e representantes de instituições relacionadas à cultura.

A abertura dos eventos, realizados na sede da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, foi conduzida pelo então secretário estadual da Cultura de São Paulo, José Roberto Sadek, pelo secretário executivo do MinC, João Batista Moraes de Andrade, e pelo presidente do Instituto TIM, Manoel Horacio. João Batista falou da relevância de Mapas Culturais para que a área da cultura acompanhe as inúmeras mudanças tecnológicas. “O que eu acho espetacular é colocar a preocupação de saber o que acontece no país em termos culturais dentro de plataformas digitais, que permitem uma relação quase instantânea”, disse. Manoel Horacio ressaltou a importância do trabalho em rede na gestão de Mapas. “Cada vez que nós nos reunimos e discutimos, nós melhoramos e aumentamos a potência desse sistema.”

No Encontro de Desenvolvedores, conduzido pela equipe de Mapas Culturais, os participantes conversaram sobre os aspectos técnicos da plataforma, como autenticação, customização e a construção de novas funcionalidades. A programação do Encontro de Gestores foi mediada pela jornalista cultural Nina Rahe e teve como temas a extração de dados e indicadores culturais, a Rede Articuladora de Informações Culturais (RAIC), o desenvolvimento de sites e aplicativos, estratégias de adesão e formas de divulgação da plataforma e governança e perspectivas para o futuro de Mapas no MinC.

Além disso, foram apresentadas três grandes novidades da plataforma: a possibilidade de classificar agentes, espaços e eventos por meio de selos, o aprimoramento das inscrições em editais pelo sistema e a disponibilização de Mapas como SaaS (software como serviço), que vai facilitar a adoção do software por estados e municípios que não possuem infraestrutura tecnológica adequada e permitirá a unificação de dados entre plataformas. Os participantes tiveram momentos para se apresentar e compartilhar experiências, expectativas e dúvidas sobre Mapas. No final, os gestores se uniram aos desenvolvedores para entender melhor o processo de trabalho de desenvolvimento da plataforma e dar sugestões de melhorias do ponto de vista da gestão.

Participaram das mesas de discussão no Encontro de Gestores o coordenador-geral de Estatísticas e Indicadores da Cultura do MinC, Luiz Antonio Gouveia de Oliveira; o coordenador-geral de Infraestrutura Tecnológica do MinC, Nitai Silva; a museóloga do Instituto Brasileiro de Museus Alessandra do Carmo Garcia; a coordenadora de Comunicação e Imprensa da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, Renata Beltrão; a coordenadora de Monitoramento e Avaliação da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, Claudinéli Moreira Ramos; a assessora de Governança Digital da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, Gecíola Fonseca; a assessora de Comunicação da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo Giovanna Longo; a pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc São Paulo Daniela Ribas; a pesquisadora da Universidade Federal do ABC Ana Mesquita; o desenvolvedor Ander Pires, que trabalha com Mapas Culturais no estado de São Paulo; e representantes da equipe e da rede de desenvolvedores de Mapas Culturais.

 

Créditos das fotos: Bruno Fernandes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *